O Brasil mal das pernas – a notícia bomba sobre Michel Temer

Aqui, mais uma vez, de olho nos noticiários e verificando as correlações entre o céu e ocorrências no “planeta Tupiniquim”.

Já não é de hoje que, verificando no mapa da Independência do Brasil a oposição de Netuno em trânsito com o Sol radical, vinha afirmando que, fosse Dilma Roussef, fosse Michel Temer ou qualquer outro a ocupar a Presidência da República, teríamos um poder “anêmico”, enfraquecido e passível de rasteiras provenientes de todos os lados. O Sol de um país é também representante do presidente, rei, primeiro-ministro, ditador etc. É o poder central. Uma vez que esse Sol é atingido por um trânsito debilitante é frequente que um cambalear e uma eventual queda desses dirigentes ocorra. No caso, fica-se sem um centro ou eixo ordenador ou referência.

Agora mesmo, neste dia 17/05/2017, às 19:30, horário de Brasília, chega a notícia com a gravação de Michel Temer dando aval para comprar o silêncio de Eduardo Cunha (não se deixa claro por qual motivo especificamente), envolvendo, ainda, o ex-candidato à presidência Aécio Neves. O mapa da hora e local da divulgação do áudio é o que se segue abaixo. Curiosamente a notícia bombástica chega com o Sol ainda em órbita de conjunção com a estrela Algol, a mais maléfica das estrelas, que se localiza em cerca de 26 graus de Touro – note-se que entre os envolvidos está a empresa JBS, a mesma que possui os direitos da marca “Friboi”. Para olhos destreinados isso pode parecer uma bela coincidência, mas muitas vezes a leitura dos símbolos pode apontar para situações bastante literais, ainda que a partir de uma correspondência entre significadores.

Mapa do momento da divulgação do áudio pelo jornal O Globo.

 

É difícil que depois dessa Temer permaneça no poder. As chances de um novo impeachment ou, talvez, de uma renúncia, agora são menos remotas. Os trânsitos sobre o mapa do atual presidente não são animadores para qualquer um que deseje manter-se no controle de alguma instituição. O mesmo Netuno em trânsito que atinge o Sol do Brasil, atinge a Lua e o Meio do Céu de Temer com uma quadratura, aspecto tenso e igualmente desagregador. Neste caso, o Meio do Céu, ligado à reputação, tem esta última dissolvida, por algo que ocorre à revelia (Netuno): a gravação foi feita sem que ele soubesse. Não bastasse isso, Saturno em trânsito, “indo e voltando” em movimento direto e retrógrado (atualmente até 25 de agosto de 2017), dispara as quadraturas com nada menos que Netuno e Sol do mapa de nascimento, sendo que o Sol é o fator que rege a casa 12, a casa dos “inimigos ocultos” e das operações que ocorrem à revelia do indivíduo. Essas mesmas operações, ao que tudo indica, revelam parceiros obscuros (Netuno transitando na casa 7). Acrescente-se a progressão da Lua, que em maio inicia uma oposição com o Mercúrio. Na experiência de tal aspecto é bem mais complicado manter segredos, cuidar de documentos, organizar-se, sendo possível viver uma sequência de mal entendidos (ou muito bem entendidos, dependendo do caso!), com problemas com pessoas mercuriais, como jornalistas, por exemplo, e com sistemas de comunicação em geral. Temer iniciará um período de muita vulnerabilidade a contradições a partir deste mês. Não nos esqueçamos que esse mesmo Mercúrio que agora se aflige fortemente é o planeta que rege o Ascendente (identidade, corpo, expressão pessoal) em Virgem e o Meio do Céu (reputação, visibilidade, arcabouço de realizações, vida pública) em Gêmeos.

Trânsitos (círculo externo) sobre o mapa natal de Michel Temer

É possível que nos próximos meses Temer tenha o apoio de algumas mulheres, talvez até na forma de depoimentos, em função do trígono da Lua progredida com Vênus (vale lembrar que sua esposa é “bela, recatada e do lar”, ela pode ter algum papel nesse apoio). Com Marte transitando neste e no próximo mês por sua casa 10 é bom se preparar para as óbvias lutas e disputas, com ataques frontais vindos de várias direções. Esse planeta formará, no céu geral, uma oposição com Saturno em junho, atingindo o eixo das casas 4 e 10 de Temer: um desajuste e uma turbulência em termos de território, bases operacionais, intimidade, bases emocionais, apoios gerais e imagem pública. A questão principal é o abalo e a confusão que tal denúncia e acusação pode provocar nas já bem frágeis bases políticas. Ainda que seja provada inocência, o conserto do estrago pode demorar.

No que se refere ao mapa da Independência, o vaivém de Saturno em trânsito vem atingindo Mercúrio radical, que é o planeta regente do Sol em Virgem, simbolizando uma extensão da crise que já vínhamos vivendo desde o processo contra Dilma Roussef. Os meses de junho e julho e, posteriormente, outubro e novembro, são os mais intensos no agravamento desta crise.

Trânsitos (círculo externo) sobre o mapa radical do Brasil (Independência)

O problema político ainda pode se desdobrar numa crise econômica ainda mais severa e num tremendo atraso nas decisões que poderiam reorganizar os eixos políticos brasileiros. Como disse acima, Saturno em trânsito em seu vaivém logo atingirá Plutão radical do Brasil na casa 2, a casa dos ganhos, dos recursos e, no caso institucional, do gerenciamento financeiro, o que inclui o sistema bancário. Idem em se tratando do período que se inicia em dezembro de 2017, indo até o final de fevereiro de 2018, quando o mesmo Saturno faz conjunção com Netuno radical, o regente moderno da casa 2 do Brasil, em Peixes. Será preciso uma espécie de força-tarefa econômica e alguma improvável, mas muito desejável, união, ainda que provisória, entre partidos e correntes políticas para evitar um caos ainda maior nas formas de acúmulo de riquezas no país. Algo do tipo, uma organização capaz de dar suporte a tais questões e evitar a abertura de um ralo econômico se pressupõe pelo trígono da Lua progredida do Brasil com seu Plutão radical, de setembro a fevereiro de 2018. Há que se ter esperança em ao menos um pouco de bom senso das pessoas envolvidas, até porque elas mesmas vão em boa parte para o mesmo buraco, caso isso ocorra. Ainda é possível prevenir.

Este texto é uma verificação provisória e obviamente incompleta, com base nas primeiras informações. Seu intuito é, primeiramente, entender, em termos astrológicos, que aspectos e ciclos vêm atingindo o mapa do Brasil e do presidente e se há uma correspondência entre o que ocorre no céu e por aqui. Por outro lado, algumas correlações dos trânsitos já podem ser discernidas com uma pequena antecipação, como vimos acima. Vamos, portanto, aguardar o desenrolar dos fatos para eventuais revisões nas perspectivas indicadas neste texto.

Continuamos de olho.

Carlos Hollanda
Confira a agenda de cursos de Astrologia 2017 com Carlos Hollanda clicando aqui
Curta a página Carlos Hollanda – Astrologia, no Facebook

 

Anúncios

Caos, Ordem, Organização e a vida fora dos escaninhos

Os campos de realidade ou nossas experiências com alguma coisa não são fatores compartimentados ou segmentados como quer nossa mentalidade ocidental, racionalista e cientificista ou as definições cabais da sociedade, com seus rótulos e preconceitos populares. Há uma fronteira tênue em tantos assuntos! Gradações e até interseções entre campos que, olhando de longe, parecem tão opostos. “Isso é isso, aquilo é aquilo” ou “Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”, diz o costume de quem deseja ver somente os compartimentos que criou na cabeça ou que lhe imputaram por aceitação tácita do que parece mais “confortável” pensar junto aos demais. Acredite: em algum momento, sob algum aspecto, você também é uma criatura híbrida e as coisas que você faz ou fará terão desdobramentos imprevisíveis devido a abrangerem diferentes campos (ou diferentes formas de interpretação). Mas, calma, não me refiro a “total” ausência de controle, como preconizam algumas linhas de pensamento mais em voga. Controle sempre há, junto com a falta dele. A realidade é algo bem mais complexo. Dizer que não há qualquer controle é compartimentar também, quase tanto quanto dizer que é possível controlar tudo por algum meio (o racional, por exemplo). Nem um nem outro. Em algum nível, talvez lá pelo “meio”, há controle com descontrole e vice-versa. Você pode controlar, até certo ponto, coisas como deixar cair um lápis no chão, em expectativa pelo empuxo gravitacional, mas talvez, dependendo do caso, se estiver em local ao ar livre, uma forte lufada de vento não cogitada no experimento pode alterar a trajetória do objeto que foi solto das mãos e ele cair onde menos se espera. Esse elemento caótico está sempre e invariavelmente presente, de mãos dadas com os processos organizadores naturais ou os humanos. Os naturais são, entre outros, formas orgânicas, que seguem padrões para se erigirem, ou as formações inorgânicas que seguem os padrões eletromagnéticos e gravitacionais, como as moléculas, os cristais hexagonais de neve, as espiralações das galáxias etc. Mesmo esses padrões sofrem entropia, isto é, desagregação de suas características e padrões originais pela interferência de outros padrões ou da perda de energia. É transformação e interação constante com elementos caóticos que alteram os padrões e que fazem com que uma impressão digital, um rosto ou mesmo um cristal de gelo jamais sejam 100% semelhantes um ao outro, mas que nos fazem notar que têm a mesma origem e estrutura por trás da superfície. Isso vale também para transcodificações e cópias, que podem perder parte de suas características ao reproduzirem o original, tornando-se, portanto, uma outra coisa, muito semelhante, mas outra.
 
Daí vale dizer que definições absolutas são complicadas, são sujeitas a variações e contextos tantas vezes. O que você definiu e deu certo hoje, sob dada circunstância, amanhã, e sob outra, poderá ser aplicado de modo um tanto diferente, ainda que a estrutura daquilo que pensou permaneça.
 
Hoje a Lua, transitando em Sagitário, forma uma quadratura T com Netuno e Marte, respectivamente em Peixes e Gêmeos. A configuração celese serviu de inspiração para este texto por sua analogia com os símbolos envolvidos. Vale a pena pensar nisso e não criar escaninhos onde se encaixem pessoas e circunstâncias tão cabalmente quanto lhe parece confortável e óbvio fazer. Talvez você só possa mesmo discernir o tal padrão ao ver o todo e não a parte, saindo da racionalidade e das repetições de ditos populares, afastando-se, distanciando-se o suficiente para enxergar que aquele padrão que você apontou com tamanha intensidade com um dedo acusador, está dentro de outro, que está dentro de outro e outro e outro até formar um grande mosaico onde tudo isso interage harmoniosa e caoticamente, como tudo na natureza.