O Desastre Aéreo com a Delegação da Chapecoense – Descrição e análise das configurações astrológicas

O desastre aéreo que matou a maior parte da delegação do time de futebol Chapecoense e vários jornalistas ocorre com a Lua já na fase nova, estando ela e o Sol em quadratura com o eixo nodal. As tensões envolvendo os nodos relacionam-se a processos desestabilizadores, desenraizadores, quebras/rupturas, desenlaces dramáticos. Simultaneamente estamos diante da longa configuração da quadratura T envolvendo Júpiter, Urano e Plutão, sendo os dois primeiros regentes, respectivamente, de longas viagens e de aviação. Há que se levar em conta todo e qualquer reforço em sistemas de segurança em situações que envolvam risco usando máquinas ou equipamentos avançados e deslocamentos em longa distância.

chapecoense-acidente

Obviamente o que é dito acima não é uma constante, isto é, não é todo o tempo que tragédias como esta ocorrem durante essa combinação de aspectos. Entretanto, onde houver problemas de segurança em equipamentos, em condições climáticas críticas ou tensões coletivas em dadas localidades, a tendência indicada pelos aspectos têm grande chance de se manifestarem com toda força. Nem tampouco significa uma pretensão de alívio, infelizmente, à dor da perda que tiveram os parentes. Trata-se de uma tentativa de compreender as características do momento e seus efeitos , de modo muito semelhante ao que se fazia nas origens da prática astrológica, pelos sacerdotes mesopotâmicos. Observação, registro e comparação com ciclos subsequentes para, eventualmente, chegar a medidas de gerenciamento do porvir.

chapecoenseObtive os dados da fundação da Associação Chapecoense de Futebol, sem o horário exato. Ocorreu em 10/05/1973, em Chapecó-SC. Os mapas das imagens que acompanham este texto referem-se, respectivamente, ao momento do acidente e à comparação do mesmo com o mapa da fundação do time. Note-se que, em função da ausência do horário da fundação, estou utilizando um mapa solar, isto é, situando o Sol desse mapa na posição de um Ascendente hipotético e dividindo as casas derivadas desse Sol em 30 graus iguais cada uma. Fica, então, a comparação dos trânsitos daquele momento com as posições planetárias calculadas para o meio-dia, a fim de que tenhamos uma posição mais ou menos próxima da posição real da Lua para a fundação, que, se tivesse ocorrido antes das 6 horas da manhã, estaria ainda em Leão. A probabilidade bem maior é de que esteja mesmo no signo de Virgem, pois, ao longo daquele dia, e ao longo do seguinte, permaneceria nesse signo. A máxima variação dessa Lua no dia 10/05/73 seria pouco mais de 10 graus de Virgem. Já as casas derivadas da posição do Sol podem oferecer pistas importantes sobre os efeitos mundanos, de modo similar ao de casas astrológicas calculadas com um horário conhecido para um evento. É preciso contextualizar, no entanto, para entender a diferença entre um mapa com horário e esse sistema de leitura com o mapa solar e chegar a denominadores comuns entre o mapa com hora e o solar.
chapecoense-transito

Kiron, até onde tem mostrado uma coletagem de dados que venho fazendo já há pelo menos 10 anos, está sempre presente junto às configurações mais tensas associáveis a catástrofes e outras situações de grande gravidade. Neste caso, a quadratura T de Júpiter-Urano-Plutão atinge o Kiron radical da Chapecoense em cheio, assim como Urano radical, sabendo que este último, no mapa natal já tem uma oposição com esse Kiron (a oposição geracional de todos os que nasceram no período). A outra configuração tensa, com a Lua nova e a quadratura com os nodos lunares, atinge simplesmente três pontos já tensos no mapa radical: a quadratura Lua-Marte-Netuno.

A título de experimentação com a técnica do mapa solar, a nona casa derivada do Sol tem a cúspide em Capricórnio. A nona casa se relaciona com viagens longas, culturas de locais distantes, entre outras coisas, enquanto sua cúspide em Capricórnio tem como planeta dispositor (regente, que dispõe, que comanda a casa) Saturno. Como vimos, Kiron em trânsito, em retrogradação, aplica uma quadratura com Saturno do mapa radical da Chapecoense. Simultaneamente, Marte em trânsito, apesar de já se distanciar da conjunção com Júpiter, parece ainda ativá-la concomitantemente a uma quadratura com o Sol radical. Esse mesmo Marte em Trânsito ainda estaria na casa 9 derivada do Sol, assim como o benéfico Vênus (talvez o que coincide com os atuais 5 sobreviventes) e Plutão, já em conjunção com a cúspide dessa nona casa derivada. Sendo que Plutão está envolvido na já referida quadratura T com Urano e Júpiter. Desse modo, a casa relacionada a viagens longas está deveras tensionada.

Ainda sem poder precisar o ponto focal da progressão da Lua para o mapa da Chapecoense, mas compreendendo que mesmo com uma certa antecipação um aspecto tenso pode se manifestar, verifica-se que a Lua progredida (técnica da progressão secundária) está fazendo uma oposição (aspecto muito tenso) com Plutão do mapa radical. Já Marte progredido está invariavelmente realizando essa oposição com o mesmo Plutão. Igualmente, o Sol progredido envia uma quadratura a esse Plutão. As progressões de Marte e de Sol, por serem muito lentas, por realizarem aspectos em períodos que podem chegar a até 5 anos (dependendo da órbita em graus que se usa para tanto e dependendo de Marte progredido retrogradar ou não – podendo chegar a bem mais do que esse tempo) funcionariam como panos de fundo, tendências fortes, mas ainda assim, latências que precisariam de disparadores na forma de aspectos formados por um fator mais rápido. Este é a Lua progredida. Todos ativando por aspectos tensos o Plutão do mapa radical, que simboliza, entre outras, situações como esta, de perdas.

capecoense-progressoes

chapecoense-x-jec-e1456602665517A Chapecoense, em conformidade com os muitos registros que mantenho aqui sobre as oposições de Saturno em trânsito com Saturno do mapa radical, estava em plena realização de muitos esforços anteriores, colhiam resultados de seu empenho, indo disputar uma das partidas das finais da Copa Sulamericana e iria para a Libertadores de América. De fato, sempre que ocorre essa oposição, a despeito do grande esforço de trabalho que lhe é simultânea, as realizações são muito numerosas e consistentes. Um reconhecimento merecidíssimo por uma trajetória simplesmente espetacular, de um time que saiu da Série D, chegou à Série A e ainda disputa um campeonato dessa magnitude. Ocorrer algo assim em qualquer momento, é lamentável, para dizer o mínimo, mais ainda durante uma fase tão pujante. Muita força para os familiares nessa hora, solidariedade a torcedores, amigos e ao Futebol em si, aos esportes e à Imprensa. Não é possível sequer conceber a dor que podem estar sentindo agora. Tudo o que podemos fazer, em nossa limitação e mediocridade, por hora é #forçaChape!

Carlos Hollanda
Terça-feira triste, 29/11/2016

 

Anúncios

Curas, Rotinas e a Alquimia: a Casa 6 e seus Denominadores Comuns

Por que a sexta casa do mapa é relacionada ao cotidiano e às rotinas, se ela é a casa do trabalho e da saúde?

construction1Por que na maior parte das vezes, o melhor remédio para um distúrbio em diferentes níveis de saúde (mental, emocional, física, social…) é voltar à rotina, criar uma, concentrar-se no trabalho, lapidar continuamente um hábito, construir um saudável aos pouquinhos, prestar atenção a detalhes que antes negligenciávamos.

Quantas vezes, devido a um mal do coração, no sentido da alma, das emoções e sentimentos, lhe deu um alívio tremendo se concentrar no trabalho? Desviar a atenção obsessiva de algo, ou melhor, concentrar essa atenção obsessiva num ou mais detalhes importantes e úteis é dar ao talento de aprimorar as coisas um lugar e uma via de escoamento, de uso. Estabelecer uma rotina clara o bastante, dedicar-se ao trabalho com afinco, ainda que ele seja simplesmente varrer uma casa, consertar sapatos, operar uma máquina, pode ser a diferença entre permanecer estilhaçado por um distúrbio emocional (perdas de relacionamentos, mortes de entes queridos, sentimentos de fracasso por motivos diversos) e estabelecer alguma organização para a psique e, consequentemente, dar margem à cura ou até mesmo significar a própria cura.

alquimiaA casa 6 é também uma casa de Alquimia, em diferentes sentidos, mas também naquele de lapidação ou purificação da alma, de ajuste ou Tikun (este termo em hebraico refere-se à correção, ajuste ou aprimoramento, com vias à purificação, algo comum ao estudo de Kabbalah e que também encontraremos nos significados e características da oitava casa). Enquanto vivemos estamos continuamente trabalhando, ainda que em ritmo menor, quando estamos a fazer “nada” (não existe “fazer nada” – até quando estamos contemplando uma parede e “babando”, a mente está em movimento – e se tivermos um Netuno poderoso no mapa ou algo enfático em Peixes, mais ainda – isso inclui as contemplações da casa 12). A cada passo, cada sucesso, cada frustração, cada despertar da percepção de que há algo que não havíamos levado em conta, trabalhamos. A mente trabalha, procura sintomas, procura explicações, procura sentido. Recorda vivências, junta pedaços, peças de nosso quebra-cabeças pessoal, em nossas narrativas pessoais, narrativas estas (memórias, experiências pessoais, construções sociais) que fazem de nós o que somos dia após dia. Temos um corpo, mas todo o restante é narrativa, é sinal, é signo, é código, é uma história e é, sobretudo, símbolo. Este último se manifesta nas mais variadas experiências de campo que temos, as coisas “externas” que têm, simultânea e invariavelmente, um correspondente interno e vice-versa. Há essa inteireza, não um “fora” e um “dentro”, há uma espécie de codificação que revela que material e imaterial são uma só coisa e tal código/história/narrativa estabelece o link e o sentido em todos os níveis, só precisamos decifrá-lo. tumblr_inline_ncqsynvmpn1qdcnhbPorém, o simples fato de tentar essa decodificação já é uma narrativa, já é um processo, já é uma jornada e faz parte de nossa história. E isso é trabalho, isso é feito cotidianamente e aos poucos, ora intensificando, ora suavizando. Isso é casa 6, isso é o contato com a doença, literalmente falando, com a discrepância entre nossas realidades internas e as realidades internas de outras pessoas no nosso dia a dia, no ajuste que temos que fazer para chegar a um certo grau de eficiência entre nossas vontades, as dos outros e as realidades concretas que se impõem e que servem de ferramentas para esse “apertar de parafusos” psicológico até que nos descobrimos tremendamente diferentes do que éramos quando ingressamos num dado sistema. Esse sistema dará lugar a outro, mais adequado ao estado em que estivermos numa dada fase da vida. Invariavelmente. Ainda podemos incluir o seguinte: no momento em que focamos nossa atenção, que evitamos as dispersões, que assumimos uma linha, um trilho de raciocínio ou um método para atingir determinado fim, ainda que este seja apenas contemplar, sentado à beira-mar, o horizonte, esse método já é um trabalho, uma rotina que pode produzir determinado resultado.

threecard-14-temperanceEu diria que as casas 6, 7 e 8 podem ter um belo parentesco com vários sentidos da carta da Temperança, no Tarot, culminando na casa 9, com uma direção de vida renovada após as crises que levam ao aprimoramento (afinal, em muitas concepções do Tarot, sobretudo as herméticas, costuma-se associar a Temperança ao signo de Sagitário, que, embora não seja absolutamente idêntico à casa 9, tem óbvias tangências e interseções de significados entre si – lembrem-se: casa não é signo e signo não é planeta, apesar de possuírem seus pontos de convergência). Se for resumir, a casa 6 detecta os pontos com fissuras, os trabalha com constância, produz mais e mais percepção, seja sobre um detalhe técnico, seja sobre si mesmo, psicologicamente falando. A casa 7 faz a mediação, verifica e estabelece os prós e contras entre o que se passa interna e externamente, procura encontrar o meio-termo entre aqueles impulsos primários, e nem sempre úteis ou desejáveis, e os ideais, a forma purificada, aperfeiçoada projetada pela casa anterior. Na casa 8 encontramos os meios para purgar aquilo que já não somos mais, aquilo que já não nos pertence. É a casa das “perdas”, mas creio que posso acrescentar que não necessariamente “perdas” no sentido de “ficar sem um pedaço”, mas em se tratando de “descascar”, “polir”, “eliminar” ou “recombinar” vários aspectos dispersos num todo mais coerente. Esse “recombinar” teria características semelhantes aos das sementes, que absorvem da terra nutrientes e que, como no caso das vinhas, fazem com que a síntese entre a qualidade da uva e a da terra (do clima, da água…) se tornem uma só coisa e resultem em sabores muito particulares para cada tipo de vinho. A casa 8 pode funcionar analogamente à pedra preciosa que, encontrada na mina, ainda possui resquícios de outros minérios, mas que, ao passar pela lapidação e polimento, descartando as partes que não se encontram no cerne brilhante e cristalino, revela o que de mais verdadeiro aquela pedra possui, inclusive, deixando passar a luz do Sol através de si. Alquimia, em um de seus mais claros atributos.

Cordialmente,
Carlos Hollanda
domingo – 27 de novembro de 2016 – Sol em 5:45 de Sagitário, Lua em 15 de Escorpião, Júpiter em Libra e Nodo Norte em Virgo.

livro transitos

Livro TRÂNSITOS PLANETÁRIOS, de Carlos Hollanda. Solicite diretamente ao autor e receba o livro em casa já autografado. Escreva para o e-mail carlos.hollanda@gmail.com

ciadosastrosblog

Formação Online em Astrologia. Cia. dos Astros. Conheça: http://www.ciadosastros.com.br