Trajetória – uma reflexão

Post do dia, dia 31 de julho de 2012, às 13:09h., no Rio de Janeiro. 
Ascendente em Sagitário com Júpiter em Gêmeos. Mercúrio retrógrado.

Se a vida é uma trajetória constante, de nada adianta contentar-se com os objetivos como se eles fossem linhas de chegada definitivas. A menos que sejam pontos de parada, mirantes e locais em que possamos reorientar o percurso, pensar nos objetivos como fins é pedir aborrecimentos: o horizonte sempre estará adiante e o caminho passado engolirá o viajante. O bacana da vida é poder olhar para trás e para frente, assim como para os lados, para cima e para baixo, como numa trilha que fazemos em local aprazível, ainda que possamos tropeçar. Não apegar-se à condição anterior, tê-la como referência, mas nunca como padrão imutável, vale mais do que ancorar-se num conceito e visão de mundo que já teve seu tempo em nossas vidas. Poder olhar para o caminho percorrido do ponto em que chegamos é dar-se a chance de apreciar a própria aventura e criar uma outra. Que bom que a vida é um grande talvez!
Carlos Hollanda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s